Dia da Raiva

“… basta a cada dia o seu próprio mal.”
Mt 6.34b

Dia da raiva ou dia que posso manifestar minha raiva? Na verdade, não é muito comum pensarmos que podemos externalizar esse sentimento. Nossa cultura parece nos ensinar que devemos abafar ou até mesmo fugir de situações que nos leva a sentir raiva. Ainda que a Bíblia nos ensina : irai-vos mas não pequeis, creio que nossa tendência é nos afugentarmos dela.

No dia 20/06/2017, em Londres, alguns universitários vivenciaram coletivamente o “dia da raiva”. O aumento das taxas anuais de empréstimos universitários resultou em uma manifestação sólida. Somados à eles, algumas pessoas também demostraram apoio e de certa forma a manifestação somou-se a outras motivações como o descontentamento pelo descaso das autoridades britânicas em relação às vítimas do incêndio em prédio popular na zona leste de Londres, que culminou em mais de 80 mortos, os frequentes ataques terroristas, as questões relacionadas à intolerâncias religiosas entre outras.

Talvez você esteja questionando porque trago exemplos de um país tão diferente do nosso. Se olharmos ao nosso redor, há muitas situações que podem gerar a raiva, o descontentamento. Não é preciso ir tão longe para tal. Minha motivação para trazer os universitários britânicos, é a forma com que parecem lidar com a raiva coletiva. De forma organizada, pontual, lutam por interesses comuns. Já fomos mais organizados em nossas ações coletivas. Parece que retrocedemos em algumas questões. Seja em prol de ações coletivas, ou individuais, que possamos aprender a lidar com nossos sentimentos e emoções. Assim como o Sábio nos ensina:

“… basta a cada dia o seu próprio mal”.

Amanhã será um novo dia!

Abraço fraterno.

Patrícia Marques

Deixe seu comentário!

comments